Lógica é um campo da Filosofia que se encarrega do estudo das regras por meio das quais pode-se construir uma argumentação correta, ou seja, é uma disciplina que estuda a argumentação visando garantir sua validade.

Silogismo é uma regra de inferência que deduz uma conclusão (proposição verdadeira) a partir de duas outras proposições, chamadas premissas.

As premissas são classificadas em quatro tipos:

Clique e veja alguns exemplos de silogismo.

EXEMPLO 1

Todos os homens são mortais.

Premissa 1:
universal afirmativa

Sócrates é homem.

Premissa 2:
particular afirmativa

Sócrates é mortal.

conclusão

EXEMPLO 2

Todos os insetos têm seis patas.

Premissa 1:
universal afirmativa

Nenhuma aranha tem seis patas.

Premissa 2:
universal negativa

Nenhuma aranha é inseto.

conclusão

Falácia é um raciocínio errado com aparência de verdadeiro, ou seja, é um argumento logicamente inconsistente, inválido, que não prova de maneira eficiente aquilo que alega.

Clique e veja alguns exemplos de falácia.

EXEMPLO 1

Toda vez que chove, os trens atrasam.
O trem está atrasado.
Logo, está chovendo.

EXEMPLO 1

Este é um exemplo de falácia, porque o trem pode estar atrasado por diversos motivos.

EXEMPLO 1

Assim, não é possível afirmar com certeza que a chuva é o motivo do atraso.

EXEMPLO 2

As aves voam.
As borboletas voam.
Logo, as borboletas são aves.

Um paradoxo é um raciocínio que, apesar de aparentemente coerente, leva a uma conclusão contraditória.

Clique e veja alguns exemplos de paradoxo.

EXEMPLO 1

Toda regra tem exceção.
Isto é uma regra.

Logo, deveria ter exceção.
Portanto, nem toda regra tem exceção!

EXEMPLO 2